sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Eu voltei, agora pra ficar!

É isso aí... Muita coisa mudou e pra melhor, mas antes de começar a contar, preciso falar sobre mim: Não sei se é algum tipo de maldição rs ou coisa do tipo, só sei que quando alguma coisinha está ruim, tudo fica péssimo! Não curto o trabalho? Fico brava com o namorado. Estou brava com o namorado? Não consigo emagrecer... e por aí vai! Mas depois de um momento necessário de fossa, onde eu acho que sou a pior pessoa do mundo, a mais inútil, a mais feia, eu consegui me reerguer. Pois então, eu parei de postar no blog exatamente neste período de fossa. Foi aí que finalmente coloquei na minha cabeça que eu estava me deixando de lado e me preocupando muito em viver a vida dos outros, em criticar o que os outros faziam, em achar que tudo estava errado e eu estava certa. Eu só tinha olhos para o problema dos outros, mas chegou um momento em que olhei para mim e disse: Luana, você está no seu limite!
Agora eu tenho certeza que superei essa fase com algumas atitudes tomadas depois de fazer a seguinte pergunta: O que me incomoda realmente? A resposta: Estava trabalhando em um lugar com pessoas muito legais, porém não estava fazendo o que gosto e ainda ganhava quase nada para isso. E por que eu não arrumava emprego melhor? Primeiro porque eu não confiava em mim e segundo porque eu não mostrava organizadamente o que eu sei fazer. Eu tinha um portfólio em um site muito confuso, nada a ver para quem é redatora, aí resolvi fazer um blog mostrando os melhores textos que já fiz. Comecei a distribuir o link do blog freneticamente e todo santo dia recebia resposta para fazer entrevista. O meu ex-chefe (da empresa legal porém chata) viu que quando eu fazia uns textos esporadicamente eu era a pessoa mais feliz do mundo, mas quando eu tinha que fazer minha função mesmo na empresa, eu enrolaaaaava! E com as palavras dele: eu era um talento desperdiçado naquela empresa! Fiz acordo com o boss e saí de lá, já com um trampo garantido, como redatora em uma agência. Depois de muitas entrevistas de emprego, até brinquei com uma amiga: Já pensou se eu tiver que escolher em qual agência vou ficar? Dito e feito! Fiquei 3 dias nessa nova agência e sabe quando não orna? Aí recebi a ligação de uma agência que eu jamais imaginei que ia me chamar... Primeiro porque eu não tinha experiência em texto no ramo de PDV e eventos, segundo porque os clientes são pobrinhos, sabe? Burger King, Cinemark, Casa do Pão de Queijo, The North Face e zaz e zaz. E cá estou eu.
Bom, contei tudo detalhadamente, como uma legítima sagitariana gosta de ser, para dizer que a partir do momento que me senti útil, me senti importante, me senti profissional, tudo mudou! Aproveitei, claro, para levar o regime a sério. Desde 11 de setembro estou me controlando nos doces, refrigerantes, frituras e há duas semanas comecei academia. Dia 11 deste mês, fui na endocrinologista e assustei quando ela me disse que eu já havia eliminado 4 quilos em 1 mês. Está na média, alguns podem até achar pouco, mas eu jurava que não tinha emagrecido nem 2 quilos!
A academia eu estou curtindo, é um pouquinho mais cara do que as que costumo fazer, mas dá para ver a diferença. Se eu tenho 20 minutos para malhar, o professor muda meu treino na hora e adapta ao meu tempo. Além disso, tem aulas bem legais que não deixam a malhação ficar chata!
Agora, prometo que vou voltar a dar atenção pro blog e continuar dando atenção a mim mesma em primeiro lugar!

2 Comentários:

Às 14 de outubro de 2011 11:19 , Blogger Pildz!! disse...

Esses momentos de 'tudo errado' é culpa inteiramente nossa.

A gente fixa na mente um problema e só consegue enxergar problema em tudo a volta.

Semelhante atraí Semelhante não tem jeito...
Se algo dá errado, outra coisa também dará, pelo simples fato de colocarmos na cabeça a seguinte frase: "Comigo tudo dá errado".

A mudança de paradigma é o essêncial para a mudança de vida. Deu errado? Pare, respire, conserte... e vamos lá.

Muitas vezes temos que lutar contra nós mesmos, contra nossos sentimentos em prol de algo melhor.

Estou com preguiça (disso entendo bem), mas vou sim na academia. E por aí vai...

=)

 
Às 14 de outubro de 2011 11:48 , Blogger Thomas Maxwell Schiff disse...

falou tudo! quando fazemos o que gostamos não sentimos o tempo passar e o trabalho não tem caráter de peso e sim de crescimento e expansão mental, vc disse tudo o que falta pras pessoas q estão desmotivadas, fazer o q gosta e o que faz bem e todas as outras coisas em todos os campos da vida vão se encaixando, pq viver a vida alheia é algo que faz vc obter resultado esperado pelos outros e certamente essas felicidades tbm não serão legitimamente suas! parabens por voltar ao trilho! bjao luanitcha!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial